Tweetar

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

TODA 6ª FEIRA É 13! EXISTE VIDA APÓS A MORTE?


Será que existe vida após a morte? Quem não acredita, diz que nunca ninguém voltou para dizer... Por outro lado, quem acredita na reencarnação confia nos relatos psicografados através dos médiuns... Sinceramente,
 faço muito esforço para que haja, sim, vida após a morte! Não uma ressurreição (voltar ao próprio corpo), mesmo porque os bichos comem tudo a 7 palmos debaixo da terra... Mas acho que voltamos e voltamos e voltamos, sempre com a missão de nos aprimorarmos espiritualmente. A reencarnação serviria para nosso espírito ficar cada vez mais limpo, até ficarmos perfeitos; até nos tornarmos espíritos de luz! Quão justo seria um cara nascer e morrer pobre - ou rico - se não existisse(m) outra(s) vida(s)? Quão justo seria um cara nascer com imperfeições (cego, surdo, mudo, aleijado, etc) e não ter outra chance de ter um corpo fisicamente perfeito? Onde está a justiça de uma criança nascer e morrer dias depois? Justiça à parte, evangélicos e católicos se agarram à Bíblia para defenderem seus pontos de vista - que são bem diferentes, apesar da Bíblia ser uma só! Adventistas, então, juram que todos seremos ressucitados - no mesmo corpo - para sermos julgados no Juízo Final; e que Jesus viria acompanhado de outros seres...  E você, o que acha? Existe vida após a morte ou morreu acaba tudo??

4 comentários:

Astassiê disse...

Pergunte à maioria dos homens casados.

Astassiê disse...

Sério agora.
Quero crer que Deus, em sua imensa bondade, não deixaria que isso acontecesse. "Pronto, acabou!".
Deve existir alguma coisa sim, além da morte, mas, por outro lado, essa expectativa serve de consolo para nós e para quem perdeu entes queridos.
Será que existe? Essa é uma pergunta que NUNCA saberemos a resposta.

Papo Furado do Civitati - Amor, Água e Muito + disse...

É, Tony... Realmente é um mistério. O problema é que tanta gente jura saber de tanta coisa... Seriam os falsos profetas??

Astassiê disse...

Não Civi,

Na minha opinião é só o 'querer acreditar'.
Um 'consolo' para enfrentar o desconhecido.